O que é laminação?

Você já deve ter ouvido falar sobre laminação. Mas você sabe o que é?

A laminação é um processo de acabamento gráfico pelo qual um material impresso – que pode ser papel comum, duplex, tríplex, couché, glossy ou qualquer outro – recebe uma camada de material plástico fino e transparente. Existem diversos tipos de laminação: brilho, fosca, holográfica são alguns dos tipos disponíveis – mas para quê ela serve, exatamente?

A laminação de um material impresso é feita com os seguintes objetivos:

  • Acrescentar brilho ou outros efeitos especiais à superfície do papel, como no caso da laminação fosca ou com glitter por exemplo.
  • Aumentar o brilho de materiais que já possuem um certo brilho, como o papel couché.
  • Fornecer uma proteção mecânica e evitar o desgaste da impressão causado por “esfregamento” ou manuseio – pastas, agendas e cadernos quase sempre são laminadas com esta finalidade.
  • Proteger o material contra desbotamento ou desgaste causado pelo ambiente – mesmo impressões feitas em gráficas podem desbotar se expostas ao sol por longos períodos.

Por favor note que laminação não é o mesmo que plastificação. A plastificação (aquela que fazemos no RG por exemplo) é um processo diferente cujo nome correto é ‘encapsulamento’. No encapsulamento é necessário deixar uma borda para ‘fechar’ o material. Já a laminação é aplicada na superfície do material sem deixar bordas.

Quais são os tipos de laminação disponíveis?

Estes são alguns dos tipos de laminação disponíveis:

  • Verniz high gloss
  • Verniz relevo
  • Verniz texturizado
  • Verniz glitter
  • Verniz com aroma
  • BOPP Fosco
  • BOPP Brilho
  • BOPP Holográfico

Como a laminação pode ser feita?

Existem três processos para a aplicação de laminação: laminação a quente, laminação a frio e aplicação líquida.

Na laminação a quente o material é fornecido em bobinas e é aplicado com a ajuda de uma termolaminadora e o calor dela faz o material aderir ao papel.

Na laminação a frio o material deve já possuir uma camada de adesivo – o adesivo tipo Contact transparente é um exemplo disso. Como não envolve o uso de calor, a laminação a frio pode ser feita a mão, simplesmente com uma régua, ou através de uma máquina própria que aplica de forma simples o adesivo. Esta é uma opção muito popular para pequenas produções ou materiais feitos artesanalmente.

Na aplicação líquida é necessário utilizar um processo diferenciado para ‘pintar’ toda a superfície do papel. Em gráficas maiores a aplicação líquida é feita logo após a saída do papel da impressora offset.

Um modelo comum de termolaminadora. Algumas podem operar a quente e a frio. Este modelo está equipado com duas bobinas para laminar ambos os lados do papel.
Um modelo comum de termolaminadora. Algumas podem operar a quente e a frio. Este modelo está equipado com duas bobinas para laminar ambos os lados do papel.

Que materiais eu posso laminar?

Qualquer material impresso em qualquer papel por qualquer processo, desde sulfite até papéis com ou sem brilho mais grossos. Lembre-se apenas de tomar um certo cuidado caso o material que você queira laminar não seja capaz de aguentar o calor da termolaminadora, caso opte por fazer a laminação a quente.

Quanto custa?

A laminação é um processo muito barato e que pode ajudar muito na proteção do material impresso. O custo por folha A4 laminada a quente com BOPP brilho pode ser de menos de R$ 0,10. Já o custo para laminação a frio dependerá do preço do metro corrido do adesivo que você pretende usar.

A termolaminadora é um investimento um pouco mais pesado mas que vale a pena: em média R$ 2.000 nos modelos para folhas A4, chegando a 15 mil reais nos modelos para laminar banners e plotagens. Laminadoras a frio podem ser mais baratas mas elas servem apenas para aplicar laminações que já possuam adesivo – lembrando que a laminação a frio também pode ser feita a mão.

Onde eu acho esses materiais?

Você pode encontrar esses equipamentos e materiais no MercadoLivre ou em lojas que vendam produtos para acabamentos como encadernadoras, guilhotinas, etc, ou em lojas que vendam materiais para impressão de fotos em jato de tinta ou produção de álbuns fotográficos.

E agora que você já sabe como laminar os seus impressos, faça os investimentos e mãos à obra!

Dicas úteis

  • Para fazer a laminação a frio manualmente use uma régua maior que a largura do adesivo e uma mesa. Descole apenas 2 dedos do adesivo, cole na borda do papel e então empurre com a régua, “expulsando” o papel de apoio do adesivo. Use uma base de borracha ou algum apoio para a folha não sair escorregando pela mesa. Depois de dominar esta técnica você conseguirá fazer laminações a frio com perfeição, mas pratique antes 😉
  • O papel couché laminado ou com verniz fica com um alto brilho. Se você for roda alguma tiragem de panfletos em uma gráfica, pode ser interessante solicitar este acabamento.
  • O papel glossy para jato de tinta, muito usado para fazer cartões de visita e outros materiais, pode ser laminado com BOPP brilho ou fosco. O BOPP fosco dará um acabamento bem interessante mas o BOPP brilho não mudará a aparência do papel já que o glossy já possui muito brilho, diferentemente do couché.
  • Em papéis texturizados como por exemplo linho ou vergê a laminação pode não deixar uma aparência muito boa, embora não exista nenhuma restrição quanto a sua utilização.
  • Se for laminar ímãs de geladeira, faça-o antes de aplicar a manta magnética.
  • Fotos impressas em jato de tinta durarão mais se forem laminadas – a laminação ajuda a evitar a ação dos raios ultravioleta. Se a foto for emoldurada com vidro a laminação pode ser dispensada pois o vidro também ajuda a evitar a ação dos raios ultravioleta.
Compartilhe por aí