Como funcionam as cabeças de impressão

Para produzir imagens as impressoras jato de tinta utilizam uma cabeça de impressão que direciona a tinta para o papel (daí o termo “jato”). Saiba como funcionam as cabeças de impressão das impressoras jato de tinta.

As impressoras jato de tinta utilizam pequenos jatos que direcionam a tinta em alta velocidade e assim produzem as imagens no papel. Mas como elas funcionam?

Existem duas principais tecnologias em uso em impressoras jato de tinta domésticas e de escritório:

  • Micro piezo, desenvolvida pela Epson e utilizada em toda a sua linha de impressoras
  • Jato de tinta térmica, desenvolvido pela Canon

Existe também a tecnologia de jato de tinta contínua, no entanto ela não é utilizada em impressoras domésticas e de escritório.

Micro piezo

A tecnologia Micro piezo foi desenvolvida pela Epson e é atualmente utilizada em toda a sua linha de impressoras. Ela surgiu no mercado em 1984 com a impressora Epson SQ-2000 e o seu funcionamento é bem simples:

  1. Uma minúscula câmara logo atrás do jato serve como reservatório temporário de tinta. É aplicada uma pequena carga elétrica e este reservatório “se dobra” para trás, puxando uma pequena quantidade de tinta que pode variar de acordo com a carga aplicada.
  2. É aplicada outra carga elétrica e o reservatório “se dobra” para frente, empurrando a tinta em direção ao papel.

Veja uma animação do processo, cortesia da Wikipedia:

O processo utilizado na tecnologia Micro Piezo permite o controle preciso da gota de tinta, e os refinamentos da tecnologia permitem que a cabeça de impressão forneça até 5 tamanhos diferentes de gota, melhorando assim a qualidade da impressão.

Jato de tinta térmica

A tecnologia jato de tinta térmica foi desenvolvida pela Canon em 1977. Apesar do nome, não se deve confundi-la com a tecnologia de impressão térmica utilizada na impressão de faxes e comprovantes em terminais de autoatendimento e que é completamente diferente. A denominação térmica provém do fato de que a cabeça de impressão utiliza calor:

  1. O jato aquece a tinta, evaporando-a e produzindo uma bolha.
  2. A produção da bolha ocorre tão rapidamente que a tinta é empurrada em direção ao papel.

Como a cabeça de impressão utiliza calor a própria tinta serve para resfriá-la e por esse motivo nunca se deve imprimir sem tinta em impressoras que utilizam esta tecnologia – é por este motivo que estas cabeças de impressão “queimam” com certa facilidade.

Vantagens e desvantagens

Como você viu, as duas tecnologias utilizam processos bem diferentes. Mas isso não significa que uma é melhor que a outra – cada tecnologia tem suas vantagens e desvantagens, e a utilidade delas dependerá do seu padrão de uso.

  • A tecnologia Micro piezo permite controlar o tamanho da gota, produzindo imagens com melhor qualidade e gradações mais suaves.
  • A tecnologia térmica pode ser embutida em cabeças de impressão de baixo custo, garantindo assim que a impressora sempre imprimirá com a máxima qualidade – se a cabeça entupir, é só comprar um cartucho novo.
  • Na tecnologia Micro piezo a cabeça de impressão é fixa e geralmente não pode ser substituída por não ser encontrada à venda.
  • Devido à baixa temperatura de operação, a tecnologia Micro piezo faz com que a cabeça seja mais resistente e mais robusta.
  • Por trabalhar com calor, as cabeças com tecnologia térmica nunca podem ficar sem tinta ou podem ser danificadas permanentemente.
  • A tecnologia térmica também permite a utilização de cabeças de impressão semi-permanentes, como é o caso da linha Officejet da HP.

Qual é a melhor?

Não existe melhor tecnologia. Ambas possuem características e qualidade diferentes e são apropriadas para diferentes tipos de usuários. Pessoalmente, acredito que a tecnologia Micro piezo é apropriada para quem imprime constantemente e em grande quantidade, e a tecnologia térmica é apropriada para quem utiliza esporadicamente e/ou não quer ter de lidar com cabeças entupidas, já que basta trocar o cartucho para ter uma cabeça nova.

Compartilhe por aí