Porque a impressão de fotos em jato de tinta fica pontilhada?

Sempre quis saber o porquê? Continue lendo!

Já é fato conhecido que qualquer impressora jato de tinta é capaz de imprimir fotos com excelente qualidade e de forma rápida e prática até mesmo em casa. Ou seja: basta você ir à papelaria, comprar papel fotográfico, escolher suas fotos no computador, imprimir e voilà.

Se você é detalhista como eu, já deve ter notado que as impressões em jato de tinta ficam um tanto pontilhadas, especialmente se comparadas com as fotos impressas em laboratório. Você também já deve ter reparado nesse pontilhamento em jornais, revistas, panfletos e outros materiais impressos. Mas a pergunta é: porque isto acontece?

Conheça o dithering

Fotos, desenhos e outros tipos de objetos são formados com milhares de tonalidades de cores diferentes. O monitor de um computador, por exemplo, é capaz de exibir até 16,7 milhões de cores diferentes – muito mais do que o olho humano é capaz de enxergar.

Você pode misturar diversas tintas até chegar a uma tonalidade específica, mas seria impossível ter todas essas misturas à disposição em qualquer processo de impressão. Foi então com essa preocupação que surgiu o chamado ‘dithering’, também conhecido como ‘retícula’. A ideia por trás do dithering é bem simples: ao invés de preencher uma área com uma cor chapada, usa-se pontinhos para simular o efeito de uma cor diferente. Na imagem abaixo você pode ver o efeito de dithering aplicado a uma imagem que usa apenas uma cor: a preta.

dither1

Observe que as diferentes disposições dos pontinhos pretos, e mais a forma como nosso cérebro analisa as imagens, faz com que tenhamos a impressão de que estamos vendo uma imagem com diferentes tonalidades de cinza. O exemplo acima utiliza pontinhos relativamente grandes, porém é possível obter o mesmo efeito com pontos bem pequenos (uma revista, por exemplo) e assim o efeito torna-se menos visível, mas ainda preservando a capacidade de gerar tons diferentes.

Vejamos agora outro exemplo de dithering, mas em cores:

dither2

Tá, mas o que isso tem a ver com a minha impressora?

Assim como muitos outros equipamentos de impressão a sua impressora vem equipada com as quatro cores básicas da impressão, chamadas de primárias: ciano, magenta, amarelo e preto. Essas cores podem ser combinadas para formarem as cores secundárias: azul marinho, vermelho e verde, totalizando assim 7 cores. E com a ajuda do dithering, como demonstrado acima, é possível criar milhares de combinações diferentes. E é por isso que suas fotos saem pontilhadas na impressão: essa é a sua impressora reproduzindo diferentes tonalidades usando apenas as cores primárias. Alguns exemplos são: rosa bebê (dithering com magenta e amarelo), verde bandeira (ciano e amarelo chapados com dithering de preto), cinza (dithering de preto) e várias outras.

Eu não gosto desse pontilhado. Dá pra evitar isso?

Infelizmente não. Para que sua impressora seja capaz de reproduzir tonalidades de forma contínua é necessário usar o dithering como forma de simular estas tonalidades.

Um alívio para o efeito visual do dithering seria a redução dos pontos em si, mas isso só é possível em equipamentos profissionais como impressoras offset, que são capazes de fazer impressões com muito mais fidelidade.

Mas nem tudo está perdido! Para combater a aparência visual do dithering existem no mercado impressoras jato de tinta equipadas com mais do que quatro cores. Essas impressoras geralmente são voltadas para uso em ambientes profissionais como estúdios fotográficos, lojas de reprodução e, é claro, elas podem ser usadas em sua casa.

Um exemplo muito comum desse tipo de impressora são aquelas equipadas com seis cores: ciano, magenta, amarelo, preto, ciano light e magenta light. As duas últimas cores (ciano light e magenta light) permitem que a impressora reproduza tons mais claros envolvendo o ciano e o magenta sem precisar recorrer tanto ao dithering (ele nunca é eliminado completamente). A utilização de apenas essas duas cores adicionais já é capaz de produzir imagens com boa diferença visual em relação às impressoras de quatro cores. Em minhas avaliações, a impressão nesse tipo de equipamento fica com qualidade virtualmente idêntica à de um laboratório fotográfico, sem pontilhamentos muito visíveis.

Mas é possível ir além: existem impressoras que possuem ainda mais cores e/ou tintas especializadas como preto fosco/preto brilhante (para obter o melhor resultado dependendo do papel utilizado), verniz (para deixar a superfície do papel fotográfico uniforme) e outros. É possível encontrar até mesmo equipamentos altamente especializados com tinta branca e metalizada, geralmente voltados à área de prototipagem.

Então, você pode imprimir fotos de boa qualidade usando papéis igualmente bons. Mas se quiser melhorar ainda mais a qualidade de suas impressões, considere uma impressora com pelo menos seis cores.

Compartilhe por aí