Mas afinal, porque jato de tinta não imprime em couché?

Quem compra uma impressora jato de tinta para fazer panfletos rapidamente descobre que não dá pra usar papel couché. A impressão fica ruim, apagada, manchada ou não seca direito. Mas afinal, porque isso acontece?

O papel couché, também conhecido como ‘coated paper’ ou papel revestido, é um papel usado na indústria gráfica para produzir materiais com características brilhantes, tais como panfletos, folders, pastas, cartões de visita e afins. A denominação ‘revestido’ deve-se ao fato de este papel receber uma camada tratada com o objetivo de melhorar a sua aparência – neste caso, aumentar o seu brilho.

Mas afinal, porque ele funciona na gráfica mas não em uma impressora jato de tinta?

As impressoras jato de tinta utilizam tintas do tipo corante ou pigmentada. Essas tintas são feitas a base de água, ou seja, elas possuem água e outros componentes em sua formulação. Para que esta tinta possa permanecer no papel de forma adequada e produzir uma impressão com qualidade é necessário que esta água seja absorvida pelo papel que está sendo impresso.

Você já reparou que, ao imprimir uma foto ou alguma arte mais carregada em uma folha de papel sulfite fino, a folha fica bem mais mole? Isso se deve ao fato das fibras do papel terem absorvido a água da tinta. Papéis mais grossos, como o sulfite 120 ou 180 gramas, não ficam tão moles pois eles são mais grossos e portanto possuem mais fibras, mas ainda assim a água penetra nestas fibras, produzindo uma impressão com qualidade.

O tratamento utilizado para produzir o papel couché – seja o couché fosco ou o couché brilho – faz com que a superfície deste papel torne-se mais impermeável. A água da tinta não é capaz de penetrar nas fibras deste papel, e por isso a impressão fica borrada – se ela não pode penetrar no papel, ela acabará indo para outro lugar. E quanto mais forte for a qualidade de impressão, pior será o resultado.

Mas como as gráficas conseguem imprimir?

As gráficas utilizam impressoras offset de grande porte, além de tintas especiais. Na maioria dos casos as gráficas utilizam tintas a base de solvente, e não a base de água. Essa tinta é mais nociva a saúde e por isso os trabalhadores da indústria gráfica precisam se cuidar mais, utilizando equipamentos de proteção individual adequados.

A tinta a base de solvente não exige que ela seja absorvida pelas fibras do papel. Esta tinta “corrói” a superfície do papel couché, se fixando nela sem escorrer ou manchar. E é essa característica da tinta a base de solvente que permite a impressão em materiais totalmente impermeáveis como sacolas plásticas, embalagens de produtos, placas de PVC e afins.

Então eu poderia usar tinta solvente na minha impressora?

A princípio não. A tinta solvente, além das questões referentes ao seu manuseio por ela ser mais nociva à saúde, tem uma formulação específica para a qual as impressoras jato de tinta comuns não estão preparadas – afinal, elas foram construídas para usar tinta somente a base de água, corante ou pigmentada. Nada o impede de colocar tinta solvente numa dessas impressoras, mas isso muito provavelmente vai acabar com a impressora, destruindo a tubulação do bulk ink e detonando a cabeça de impressão. E a tinta ecosolvente não ajuda muito, pois ela não é tão mais segura que a solvente. Em todo caso o pior que pode acontecer é a sua impressora durar menos do que ela normalmente duraria.

Mas então como posso imprimir materiais com qualidade? Só o sulfite não dá muito certo.

Quando se usa uma impressora jato de tinta e se deseja obter uma qualidade melhor, é necessário usar papéis especiais compatíveis com as tintas a base de água. Estes papéis possuem uma camada adicional com tratamento diferenciado, que é capaz de absorver a tinta da impressora da forma adequada e oferecendo uma impressão de altíssima qualidade. Se você comparar uma transparência comum com uma transparência para impressora jato de tinta, poderá observar a presença desta camada adicional que permite a impressão. Esta camada é a responsável por ‘segurar’ a tinta no lugar correto, permitindo assim produzir materiais inclusive com qualidade superior à do couché.

O papel mais usado para produzir materiais com brilho em impressoras jato de tinta é o glossy, e ele está disponível em diversas gramaturas e em opções como frente e verso (o glossy comum só possui tratamento na frente) e com textura. E devido a grande popularidade deste tipo de papel, hoje é possível adquirir folhas de papel glossy a preços incrivelmente baixos, viabilizando a produção de pequenas tiragens de panfletos, cartões de visita e outros materiais.

Portanto, se você adquiriu ou pretende adquirir uma impressora jato de tinta para produzir materiais impressos, lembre-se sempre de procurar papéis compatíveis com este tipo de impressora. Existem muitas opções que vão desde o papel fosco (que é diferente do sulfite, pois possui tratamento especial) até o super brilho (chamado de high glossy, mais caro mas usado para reproduções de fotos de alta qualidade).

Compartilhe por aí