Fazendo sublimação em canecas e copos de acrílico ou plástico? Leia isto antes.

Eu tenho recebidos diversas dúvidas de visitantes que tiveram problemas ao tentar fazer sublimação em canecas e copos de acrílico ou plástico. Por isso, resolve escrever este artigo onde abordarei um pouco mais sobre este assunto, e claro, darei a minha opinião.

Muitas pessoas buscam o ramo de sublimação como forma de gerar uma renda complementar, ou ainda como forma de iniciar um negócio lucrativo. Para quem ainda não conhece, a sublimação é o processo pelo qual podemos personalizar um objeto – que pode ser uma caneca, um copo, um azulejo, um boné, ou até mesmo camisetas – através de um processo que envolve o calor.

Tenho visto diversos vendedores ofertando “soluções” para personalizar produtos de plástico e acrílico através do processo de sublimação. Ocorre que tais vendedores talvez não estejam esclarecendo corretamente os consumidores sobre como este processo realmente funciona, causando confusão e frustração, já que ele difere muito do processo tradicional que conhecemos.

No processo tradicional de sublimação para personalização de objetos como copos, canecas, azulejos e afins é necessário utilizar um objeto previamente preparado para isto. Este objeto possui uma camada especial de uma resina fina e invisível, que é a responsável por permitir a fixação da imagem, que deve ser impressa em uma impressora jato de tinta equipada com uma tinta especial que reage ao calor, a tinta sublimática.

Devido a maneira como este processo tradicional funciona, ele se torna compatível somente objetos feitos de materiais rígidos e espessos, capazes de aguentar o calor e a pressão da prensa térmica, tais como canecas de cerâmica e vidro, squeezes de alumínio, xícaras, etc – que, repito, devem ser previamente preparados; você pode facilmente encontrar estes objetos prontos para uso em diversas lojas, tanto físicas quanto virtuais, de sublimação.

Pelo que pude apurar neste processo de sublimação de acrílico e plástico a ideia é fazer a impressão usando uma impressora laser colorida e um papel especial. O calor da prensa iria derreter o toner, para que ele possa “grudar” no objeto, da mesma forma como a impressora laser derrete o toner para que ele possa “grudar” no papel.

Impressoras laser possuem um processo de impressão muito diferente de impressoras jato de tinta. Cada modelo de impressora possui características bem específicas, assim como os cartuchos de toner que elas usam. Se você usa ou já usou impressoras laser certamente já se deparou com um cartucho recarregado ou genérico cuja impressão não se fixa corretamente ao papel, soltando com facilidade, ou ainda deixando sombras e manchas pela folha. Isto ocorre simplesmente porque quem fez a recarga ou fabricou o cartucho utilizou um pó não totalmente adequado à impressora – justamente por causa dessas características bem específicas.

Sendo assim, para que tal processo de sublimação de acrílico funcionasse, seria necessário utilizar uma impressora com as características específicas desejadas para isso, um cartucho cujo pó de toner também tivesse as características específicas desejadas, e claro, a prensa deveria operar numa temperatura que permitisse essa transferência sem danificar o objeto – que também precisaria ser específico para que conseguisse receber corretamente a impressão.

E mesmo que tudo desse certo ainda haveria uma última preocupação: a durabilidade da personalização. Pois se a base deste processo é simplesmente fazer o toner “grudar” na superfície do objeto, pode ser que uma simples unha raspando na impressão possa conseguir fazê-la se soltar.

Uma coisa que levo muito em consideração ao testar novos materiais e novas técnicas de impressão é a durabilidade do resultado. De que adianta fazer um produto bonito se ele não aguenta o “abuso” que irá sofrer dos clientes – ou mesmo o simples manuseio do dia-a-dia? Com base nos relatos que tenho recebido dos visitantes do site, e com base nas (poucas) amostras que vi, eu não recomendaria este processo de sublimação para acrílico e plástico.

Antes de investir em qualquer coisa, especialmente se tal coisa tiver o objetivo de lhe gerar renda, procure se lembrar de que os vendedores de soluções nem sempre estão interessados em lhe ajudar – em muitos casos eles estão interessados simplesmente em vender, e às vezes até mesmo vendem sem ter qualquer noção sobre o funcionamento do que estão vendendo.

Se você vai iniciar um negócio você precisa ter parceiros com quem possa contar caso tenha dificuldades ou problemas. Se for contatar um novo parceiro ou adquirir um novo equipamento, não tenha medo de fazer perguntas, pedir amostras, solicitar explicações e tirar todas as suas dúvidas. Lembre-se: na hora de vender tudo vai bem, mas e quando você tiver problemas?

E você, já teve alguma experiência com o processo de sublimação em acrílico ou plástico? Tem algo a acrescentar ou corrigir neste artigo? Deixe seu comentário!

Compartilhe por aí